Diários do Niva

Diários do Niva (16) – Um dia em Florianópolis

Manezinhos da Ilha

Chegamos a Florianópolis na madrugada de domingo para a segunda, por volta das 2h30 da manhã, depois de pegar um trânsito bastante grande na estrada. Ficamos na casa de Darwin e Clarissa que fica bem próximo da ponte que é cartão Postal da cidade.

Para variar o tempo está nublado e com chuva. Aproveitamos pela manhã para conhecer a ponte Hercílio Luz. Ela está fechada para reformas, pelas informações colhidas aqui, fechada desde 1984.

Depois, na parte da tarde, visitamos outros pontos da capital, como o Museu Cruz e Souza (foto abaixo), Mercado Municipal e a sede do IPHAN em Florianópolis.

Depois tivemos que fazer uma parada técnica para concertar um pequeno vazamento de combustível no Nivinha e para isso recorremos a um dos principais especialistas em Niva do Brasil, radicado aqui em Florianópolis. Aliás é bom que se diga, aqui em Florianópolis chegamos a 2.200 kms rodados (sem contar a saída de São Paulo a Campo Mourão-PR), pegando estrada de terra, areia, estradas péssimas e o Niva só teve pequenos problemas.

Assim, enquanto o Niva fazia esse pit stop, aproveitamos para conhecer a praia de Canasvieiras, uma das mais famosas da Ilha e descobrimos que os argentinos muito sensibilizados com a nossa não entrada em seu país, decidiram vir até aqui em solidariedade. Sem dúvida nenhuma pelo menos 80% por cento das pessoas que estavam lá eram argentinos. Descobri também que Florianópolis conta com uma praia de nome lindíssimo.

Continuando a visita, se dirigimos ao bairro de Santo Antônio de Lisboa. Descobrimos uma lojinha de artesanato muito bonitinha.(foto)

Também essa região tem uma vista deslumbrante da cidade, que deixou esse blogueiro bastante nostálgico…

Comemos em um restaurante em frente a essa vista toda e já se preparamos para deixar a Ilha. Nesta manhã de terça feira retornamos bem cedo para São Paulo onde encerramos essa viagem. Vamos direto de Florianópolis para São Paulo, cerca de 800 kms de estrada o que vai dar mais de 3000 kms no total (contando a partida em Campo Mourão). Mas quando chegar em São Paulo, faremos um balanço dessa aventura.

O nosso próximo contato provavelmente será em terras paulistanas.

Raoni, Raisa e Rovilson – Um lada, três corações. kkk.

Em Florianópolis.


1 Comentário

  • Vão direto para sampa e nem uma paradinha em Curitiba???

    Vou ficar muito brabo, viu!

    Mas, adorei ter viajado com vocês via blog…

    Nos vemos na Bienal?

Deixe um comentário