Foto: Raoni de Assis / Blog do Raoni

A farmácia do Posto de saúde 24 horas, localizado no Lar Paraná, vem sendo alvo de polêmicas há algumas semanas, após o anúncio feito pela prefeitura de que entre as 7h e as 16h a farmácia permaneceria fechada e os usuários deveriam procurar a unidade básica de saúde mais perto de sua casa para receber os remédios receitados pelo médico.

De acordo com a prefeitura, nos demais horários a farmácia deveria permanecer aberta: “A farmácia não vai fechar. A única diferença é o horário de funcionamento”, disse a Secretaria de Saúde Rosemeire Martelo, através da assessoria de imprensa do município no final do mês de setembro.

Contudo, não foi o que constatou a reportagem do Blog do Raoni no início da madrugada de domingo para segunda-feira. O Blog do Raoni esteve no local e confirmou que a farmácia estava fechada, em horário que, de acordo com o informado pela prefeitura, deveria estar aberta. Outro membro da imprensa também esteve no local, antes de nossa reportagem, e também constatou o fato.

Complicador

O usuário que procura o Posto de Saúde 24 horas após a 0h e não consegue pegar o medicamento receitado pelo médico devido ao fechamento da farmácia do local terá problema. Isso porque existe dificuldade de encontrar uma farmácia de plantão após este horário na cidade, o que dificulta ainda mais a situação.

Entenda o caso

A prefeitura anunciou mudança no horário de atendimento da farmácia do Posto 24 horas no final do mês de setembro. Em um primeiro momento havia informado que era devido aos pacientes da região que pegavam medicamentos durante o dia no local: “a medida é necessária porque um levantamento da Secretaria constatou um alto gasto de medicamentos, principalmente fornecidos a pacientes de outras cidades, o que foge da finalidade do serviço” disse trecho da nota enviada pelo município.

 Em seguida, após reunião com o Ministério Público, informou, também por meio de nota, problema com recursos humanos, devido a falta de farmacêuticos: “estamos com uma farmacêutica de férias e outra de licença” disse a secretaria explicando a obrigatoriedade da presença de um farmacêutico na farmácia.

O acordado com o Ministério Público, com a presença do Conselho Municipal da Saúde, foi que a Secretaria de Saúde tem dois meses para estudar o impacto do novo horário, período este em que duas farmacêuticas do município estarão de férias e licença.


Deixe um comentário