Beto Richa em situação complicada.

A Revista Isto é, uma das que tem maior circulação nacional, trouxe de forma exclusiva, áudios gravados dentro do Palácio Iguaçu,  que comprometem o ex-governador do Paraná e pré-candidato ao Senado, Beto Richa (PSDB).

Os áudios obtidos pela Revista indicariam que o governo Beto Richa atuou para favorecer a Odebrecht em obra bilionária. Os áudio estão em poder do Ministério Público Federal.

Em uma das conversas, o então chefe de gabinete de Richa, Deonilson Roldo, tenta convencer Pedro Rache, diretor-executivo da Contern, uma construtora do grupo Bertin, a desistir da licitação para a duplicação da PR 323. De acordo com Roldo, a obra já estaria prometida a Odebrecht.

O encontro entre os dois foi realizado dentro do Palácio Iguaçu, no dia 24 de fevereiro de 2014.

Confira a gravação

Para que o grupo Contern, que ha mais de dez meses trabalhava em uma proposta para a obra, desistisse do negócio, o braço direito de Richa ofereceu uma contrapartida: ajuda do governo em outro negócio de interesse do Grupo, no Complexo de Aratu, no litoral da Bahia.

Neste local, o Grupo Bertin possuía seis usinas térmicas, mas estava com dificuldades e procurava um parceiro. A Copel, foi procurada e Roldo poderia, então, desenrolar a negociação. O valor da negociação girava em torno de R$ 500 milhões.

Agora que Beto Richa não tem mais foro privilegiado, essa investigação está com o Juiz Federal Sérgio Moro.


Deixe um comentário