Campo Mourão Saúde Todos

Campo Mourão: Decreto é estendido por mais uma semana e pedido de isolamento é reforçado

O crescimento no número de casos de Covid-19, agravado com três óbitos, reforçou a necessidade do prefeito Tauillo Tezelli (Cidadania) estender por mais uma semana o decreto com determinações para isolamento social. As medidas adotadas, que incluem maior rigor na fiscalização, atendem recomendações de especialistas da área da Saúde, entre eles profissionais que atendem os pacientes no Hospital Santa Casa.

No domingo (05), o prefeito Tauillo Tezelli e o secretário municipal de Saúde, Sérgio Henrique dos Santos, estiveram no hospital, de onde se dirigiram à população ao vivo pela internet. Ao lado dos médicos Adriana Abrão e Renato Gibin, reforçaram a necessidade do isolamento para tentar conter o avanço da doença.

“Estamos em permanente contato com o governo do Estado para  ampliação de leitos, além dos 9 já garantidos e para os quais estamos aguardando a chegada de equipamentos. Estamos trabalhando incansavelmente junto com Comitê de Crise”, explicou o prefeito. No boletim divulgado na tarde de domingo apareceram 14 casos confirmados, 10 suspeitos, 65 monitorados e 4 pessoas recuperadas.

A chefe da UTI da Santa Casa, Adriana Abrão, explicou que por enquanto não está faltando ventiladores, nem estrutura profissional no hospital. Sobre o tratamento dos pacientes, ela explicou que segue os protocolos do Ministério da Saúde, com base em critérios internacionais. “Estamos permanentemente em contato com profissionais, inclusive de outros países”, explicou a médica, ao acrescentar que mais médicos do hospital estão sendo treinados.

Dos pacientes hospitalizados na UTI, ela disse que todos estão estáveis, apesar da gravidade. “O tratamento inclui o uso da cloroquina, com termo de consentimento assinado pelas famílias”, explicou. Segundo ela, ainda não dá para saber por quanto tempo um paciente necessita de UTI. “Cada paciente não sai da ventilação mecânica em menos de três semanas. Hoje tentamos tirar uma paciente que estava há 17 dias e tivemos que colocar de volta. Depende muito da reação do organismo”, esclareceu.

A médica reforçou a necessidade de evitar aglomerações para que o vírus pare de circular, ao apoiar a decisão de estender as medidas de isolamento. “É difícil ficar em casa até pela questão econômica, mas estamos falando de vidas. O isolamento de duas semanas agora que está fazendo efeito. Então o resultado de hoje só será percebido daqui duas semanas. Ainda estamos na fase do período inflamatório”, completou.


Deixe um comentário